O Livro de Ouro CCA

 O VIII Prêmio África Brasil (2013), realizado pelo Centro Cultural Africano está chegando, a cerimônia de premiação acontece sempre no dia 25 de maio em comemoração ao “Dia da Luta pela Independência da África” - instituída pela Organização das Nações Unidas - ONU, em 1972.

Justificativa

A população brasileira conta com quase 50% de afrodescendentes e nos últimos anos as questões relacionadas ao debate racial se tornaram ainda mais complexas com o sistema de cota no ensino superior, ações afirmativas, estatuto da igualdade racial e os parâmetros curriculares de ensino que prevê a discussão desses temas e a obrigatoriedade do ensino da Historia e Cultura da África e afro- brasileira.

O Prêmio África Brasil vem referendar os “Africanos e Afrodescendentes” através de experiências dos cidadãos e cidadãs de todo território nacional brasileiro e também da África, que se destacaram em algo em  que são decisivos na promoção da cidadania, valorizando e respeitando as relações étnico raciais, contribuindo assim para a elevação da autoestima e na promoção da inclusão social através da unidade e pela diversidade brasileira.

Para viabilizar a execução do projeto, criamos um Fundo de Doações, pelo qual qualquer pessoa pode dar sua contribuição.

Já neste período das doações, foi criado um Livro de Ouro Online, com os nomes e fotos de todos os doadores, que estarão também expostos no Centro Cultural Africano, tanto quanto no dia da Festa do Prêmio no Telão, para serem apreciados por todos os convidados.

As doações poderão ser feitas por transferência ou depósito identificado bancário.  O nome, o depoimento e a foto do doador apenas serão divulgados no site após a comprovação da contribuição, com o envio da cópia comprovante do depósito por email. 

No próprio formulário existe um local para que se faça o download de sua foto, para que possamos colocar no site e no telão no dia do Prêmio África Brasil 2013.

Os valores doados por cada um não serão divulgados

 

Banco Bradesco

Agencia-0549-9 -  Barra Funda - São Paulo, SP

Conta Corrente-99688-2

Centro Cultural Africano

O estipulado para doação é de R$ 100,00.

 

Obs. Aceitamos doações em outros valores, pedimos que por gentileza  entre em contato conosco pelos telefones:

11 3392 7229 / 11 3392 5291

Como se inscrever para sua doação

 

Formulário do Livro de Ouro

Centro Cultural Africano

Agradecemos por sua preferência, assim que obtivermos a confirmação de

seu depósito entraremos em contato.

 Nós do Centro Cultural Africano agradecemos também o seu contato e seu apreço.

Otunba Adekunle Aderonmu

Diretor Presidente

Otunba Adekunle Aderonmu

Otunba Adekunle Aderonmu, diretor presidente do Centro Cultural Africano, naturalizado brasileiro nasceu em Abeokutá, na Nigéria.

Formado em bioquímica na universidade de Lagos e considerado Otunba (vice-rei) em seu país, devido à herança de família nobre e tradicional, com reis e autoridades no atual governo da Nigéria. Em nosso país, onde vive há mais de duas décadas, desenvolve atividades empresariais e, além disso, é sacerdote religioso.

Ciente da grandiosidade populacional do contingente de negros e afrodescendentes no Brasil, cujo tema é objeto permanente de suas pesquisas, Otunba Adenkule Aderonmu idealizou o Centro Cultural Africano, que funciona na cidade de São Paulo, na Barra Funda, instituição que tem como objetivos principais fazer o intercâmbio cultural, social e religioso entre o Brasil e o Continente Africano. Assim, desde o ano de 1999, com a criação dessa entidade, o seu trabalho conquistou grande visibilidade e credibilidade em todo país.

Tornou-se colecionador e divulgador da arte africana, plásticas, cênicas e tecnológicas e dedica-se a promover essa cultura por meio de grandes eventos, profere palestras para professores e especialistas, ministra cursos sobre religiosidade, além de possuir vasto material audiovisual para consultas e pesquisas dando suporte para estudantes e religiosos.Conhecido no meio religioso como o Babalawo Ogunjimi, ou simplesmente Baba Jimi.

Iniciado aos dez anos de idade no Orisá Ogum, na cidade de Abeokutá na Nigéria, filho e neto de Babalawos, atua como sacerdote espiritual aqui no Brasil desde a sua chegada, promovendo o Culto de Ifá, fazendo iniciações, cursos religiosos e congressos, trazendo esclarecimento e importante contribuição para a cultura religiosa brasileira.